99vidas no image

Published on agosto 31st, 2012 | by Leandro Garcia

0

Flashback Games – Análise de Alex Kidd in Miracle World (Master System)

Gamers bom dia,

Hoje volto com a Flashback Games e com um “cláaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaasico” do Master System, Alex Kidd in Miracle World. Não precisa falar mais nada né, segue abaixo a análise:

INFORMAÇÕES GERAIS
Ano de Lançamento: 1986
Plataforma: Master System
Fabricante: SEGA
Categoria: Ação/Plataforma
Número de Jogadores: 1
Analisado por: leanpgarcia
Revisado por: Bia_Kawaii

“Alex Kidd In The Miracle World” é um jogo que marcou sua época com os melhores gráficos para 1986, foi a resposta da Sega ao grande sucesso de Super Mario Bros. que deixou o gênero plataforma como o comandante desta época e quando a boa Tec Toy lançou o cartucho no Brasil vinha a seguinte mensagem em seu encarte: “Seu nome é Alex Kidd. Você tem uma coragem invejável e um golpe de caratê tão forte que é capaz de despedaçar rochas. Sua missão: salvar Radactian, uma cidade que está em perigo. Mas há uma armadilha: como chegar até lá? Suas únicas dicas são um mapa muito confuso e um medalhão. Será que você consegue decifrar este enigma? Enfrente os obstáculos, descubra os segredos ao longo da caminhada e prepare-se para grandes aventuras. Este é um desafio para poucos e Alex Kidd é um deles!”, (Simplesmente Sensacional). Como já dito no encarte a história se baseia em Alex e o grande vilão “Janken The Great”, este sequestrou seu irmão gêmeo além de estar fazendo muita confusão e causando muitos problemas em seu reino. Então Alex como um grande herói, parte em uma jornada para salvar seu irmão e pôr de novo paz em seu reino.


 

Começando pela jogabilidade, ela para mim possui alguns defeitos principalmente ao pular, parece que você tem que calcular onde Alex vai cair e acho também um pouco ruim para comandar os veículos, mas nada que com o tempo você se acostume, no caso do pulo parece as vezes que Alex está preso ou é pesado. Os veículos como ditos na época foram uma grande inovação na jogabilidade e outro detalhe legal desta é como correr e por o direcional para baixo, fará com que Alex se abaixe e deslize um pouco, permitindo com isso entrar em certos lugares secretos onde Alex não cabe.

Os gráficos são lindos que me lembro joguei Alex Kidd pela primeira vez em 1988 quando ganhei meu Master. “Caraca” o salto do NES e do Atari que tinha visto em alguns jogos para Alex Kidd foi grande! Os gráficos eram bonitos, coloridos, personagens e cenários bem trabalhados, aliado a um fundo detalhado, realmente muito bom para os padrões do Master System e extremamente superior aos gráficos do seu grande concorrente o NES.


Os efeitos sonoros e músicas são marcantes, são poucas músicas mais qualidade é tamanha, que mesmo sendo repetidas várias e várias vezes, não enjoam os jogadores.

Concluindo um grande jogo que marcou época e foi o grande mascote até 1991 quando aquele porco espinho azul assumiu a Sega e nunca mais a largou. Bom, voltando, é um grande jogo com muitas variações de jogabilidade apesar de pecar um pouco neste último, gráficos, sons tudo da melhor qualidade e com uma dificuldade muito alta, nenhum outro jogo de Alex Kidd foi tão marcante quanto este. Marcou minha infância e de muitos trintões por aí e se vc é novo e tem um Wii, em vez de ficar “balançado” seu remote vá na Virtual Console do Wii e baixe o jogo, é obrigatório, resumindo: unindo simplicidade com criatividade jogar Alex Kidd se torna uma diversão garantida! Segue abaixo análise final do jogo, algumas dicas, links úteís e um vídeo é claro:

 
Gráficos: 10,0 – Era notória a superioridade gráfica do Master para o NES, mas em 1986 isso ficou mais claro com Alex Kidd, tudo feito com cuidado cenários, personagens com riqueza de detalhes.

 
Jogabilidade: 8,0 – A jogabilidade não é tão precisa, mas também não é um completo desastre. Com o tempo você vai se acostumando com os pulos imprecisos e com a jogabilidade um pouco presa, e os veículos são um diferencial que deram muito certo no jogo apesar de também de ter que se acostumar primeiramente com o modo de conduzi-los.

Som: 9,5 – Trilha sonora marcante e feita com toda qualidade dos grandes jogos de plataforma, os efeitos sonoros são bem legais e para quem não é tão “fan boy” como eu pode enjoar um pouco das mesmas musiquinhas.

Enredo: 8,0Trocando o Reino dos cogumelos pelo reino de Radactian e a princesa Peach sequestrada pelo seu irmão gêmeo, a história de Alex se parece basicamente com a de Mário, porém a jogabilidade completamente diferente apesar do gênero plataforma faz o diferenciar um pouco.

Diversão: 10,0 – O ponto forte do jogo. Eu chegava da escola e ia direto para meu Master jogar, a pedra, papel e tesoura é um diferencial neste aspecto além dos veículos, fases da água e tudo bem variado e divertido.
Replay: 8,0 – Tudo bem que depois de terminar o jogo, não há nada mais para fazer. Não existe nenhum bônus para fazê-lo novamente. Contudo, é muito difícil achar uma pessoa que tenha jogado este jogo e tenha terminado somente uma vez ele. Você se diverte tanto com o jogo que acaba o jogando novamente sempre que a saudade apertava.

Dificuldade: DifícilÉ um jogo considerado muito difícil de terminá-lo. Não se deixe enganar com o início fácil a dificuldade é gradual, os inimigos são bem variados e alguns dão realmente um certo trabalho aos jogadores. Alguns cenários são um pouco complicados para serem explorados e até mesmo alguns chefes exigem uma boa habilidade dos jogadores em relação aos controles e comandos do jogo. Alex não tem barra de energia, ou seja, basta um simples “esbarrão” nos inimigos para morrer.

Média final – 8,91, ou seja, via Master, via Wii Ware, simplismente JOGUE!

Dicas:

Continue: Se você perdeu todas as suas vidas e tem mais de $800, segure o direcional para cima e pressione o botão 2 oito vezes. Se não der certo, continue apertando o botão 2 até o game reiniciar. Isso vai lhe custar $400.

Para derrotar os chefões do Jankenpo:
1º chefe: escolha Pedra no primeiro encontro e Tesoura no segundo
2º chefe: Tesoura e depois Papel
3º chefe: Pedra e depois Tesoura
4º chefe: Papel e Papel novamente
5º chefe: Pedra e Pedra novamente
6º chefe: Pedra e Tesoura
7º chefe: Papel e Papel

Links úteis:

Mais uma alternativa de jogo: Jogue Alex Kidd in the Miracle world em seu PC perfeitamente como se tivesse no seu velho e bom Master System que era tão bom que você jogava, jogava, jogava e não dava 3RL, YLOD hehehehe, basta penas ter a última versão do Java instalado em sua máquina: 

http://www.iplay.com.br/Jogos/Sega/Master_System/?Alex_Kidd__Miracle_World+13&Grupo=41

99 Vidas Alex Kidd: Se você não conhece o 99 Vidas é o melhor podcast old gamer da internet brasileira, e eles fizeram o episódio especial sobre não só Alex Kidd in Miracle World como todos os outros já lançados o de n° 21, então vai lá e dá um confere clicando na imagem abaixo que o programa é obrigatório:


Vídeo: 

[]’s


About the Author

Um gamer clássico que adora postar notícias e comentar com seu mundinho gamístico com todos!!!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑
  • GameNews #25 – Recall Nier, Super Mario Run, Nintendo Switch e Jogos Brasileiros

  • Curtam nossa fanpage no Facebook

  • Sigam-nos no Twitter


  • Curta nossa fanpage no Google +

    Sigam-nos

    Curta nossa fanpage

  • ReportGamerTV

  • Sponsors


  • Nossas Badges



  • Parceiros







  • Cobertura ReportGamer na BGS 2015

  • Recomendados







  • Podcast GameNews